O que causam Alergias?

O que causam alergias?


Por Sabrina Stierwalt, PhD, 5 de janeiro de 2016  

Scientific American

 


A prevalência de alergia está em ascensão, mas por que algumas pessoas sofrem reações alérgicas enquanto outras não? Se você fosse sortudo o suficiente ser uma pessoa não alérgica, poderia ainda desenvolver alergias quando adulto?

 

Quase 8% dos adultos e 9% das crianças nos Estados Unidos sofrem de alergias nasais ou febre do feno, e o resultado de sintomas em mais de 11 milhões das visitas ao médico, anualmente. Três milhões de pessoas nos Estados Unidos relatam alergia a amendoins, ou nozes ou ambos, incluindo 8% das crianças, de acordo com a Academia Americana de Alergia Asma e Imunologia.

A prevalência de alergias também parece ter aumentado durante os últimos 50 anos e não mostra sinais de abrandar. Os sintomas de alergia ocorrem quando nosso sistema imunológico confunde uma substância normal, como pólen ou uma noz, por um intruso e promove guerra contra isso através da liberação de anticorpos. Mas por que esta resposta acontece em algumas pessoas e não outras? Por que as alergias estão se tornando cada vez mais comuns?

 

Genética e Nosso Meio Ambiente

 

Os cientistas não são inteiramente certos por que algumas pessoas sofrem de alergias, enquanto outras vivem sem alergia, mas estudos mostram que a genética e ambiente são dois fatores importantes.

Estudos de gêmeos no qual um deles é alérgico a amendoim descobriu que, no caso de gêmeos fraternos, o outro gêmeo tem 7% de chance de também ter a alergia. Entre gêmeos idênticos, no entanto, ambos os gêmeos eram alérgicos em 64% dos casos. Assim, a nossa genética claramente influencia se teremos ou não uma alergia.

No entanto, a força da conexão entre genética e alergias é ainda motivo de debate. Em um estudo canadense de mais de 900 irmãos de crianças com alergias ao amendoim, por exemplo, apenas 1,7% dos irmãos também era alérgico. Também parece que herdam a tendência a ter alergias, mas não uma alergia específica. Em outras palavras, ter um pai que é alérgico a nozes não significa que você necessariamente vai também ser alérgico a nozes, mas aumentar suas chances de ter alguma alergia a tudo.

Nosso ambiente também deve ser fator em determinar se seremos ou não alérgicos. Um estudo recente mostrou que as taxas de asma e alergias são mais baixas para aqueles que vivem em fazendas, possivelmente devido à exposição a uma molécula específica encontrada em estrume de vaca.

Em última análise, nosso ambiente determina se estaremos expostos a um determinado alérgeno, um requisito para o desenvolvimento de uma alergia. No entanto, não é sempre claro se a exposição pode ser benéfica, porque isso oferece ao corpo a possibilidade de construir anticorpos bloqueadores da alergia, ou se o completo ato de evitar um alérgeno  durante o maior tempo possível terá melhores resultados. Assim, os cientistas ainda ativamente debatem, por exemplo, se as mulheres grávidas devem comer manteiga de amendoim para que o bebê possa aprender no útero a não ser alérgico às nozes, ou se os bebês ainda não têm a força para combater a potencial alergia ao amendoim e esta exposição precoce, finalmente, está provocando alergia.

 

Você pode ter alergia pela primeira vez quando adulto?

 

Sabemos que as crianças podem "superar" alergias, e que essa transição é mais provável que aconteça com alergia de ovo ou leite do que as alergias à nozes. Mas nós podemos desenvolver novas alergias quando adultos?

A resposta, claro, é sim, e os cientistas suspeitam que o meio ambiente desempenhe um papel mais dominante sobre a genética. Vários fatores podem levar a uma mudança em nossa exposição a um determinado alérgeno e assim desencadear uma alergia nova na idade adulta. Mudando-se para uma área com novas árvores e gramíneas ou conseguir um novo animal de estimação ambos podem nos expor a alérgenos na idade adulta que anteriormente não tínhamos encontrado.

Há também a possibilidade de alergias dormentes finalmente chegar à exposição crítica durante a vida adulta. Em outras palavras, podemos encontrar um alérgeno particular quando criança, mas não para um grau forte o suficiente, apenas para acumular níveis suficientes de exposição quando adulto. Se nos deparamos com um alérgeno enquanto nosso sistema imunológico está enfraquecido, como é durante a gravidez, também podemos aumentar nossas chances de desenvolver uma alergia relacionada.

 

Por que as alergias parecem estar piorando?

 

Estudos mostram que as ocorrências de alergias estão em ascensão, tornando a busca por sua causa mais importante. Alergistas de alimentos, no Monte Sinai, rastreando alergias a amendoim encontraram que as taxas aumentaram de 0,4% em 1997 para 1,4% em apenas treze anos após 2010. Muitas pessoas com uma única alergia, como amendoins, também acabam sendo alérgicas a outras árvores de nozes, bem como, como nozes ou pecans.

Os investigadores hipotetizam que este aumento nas taxas de alergia pode estar ligado a nossas práticas de higiene. Se o nosso ambiente é demasiado estéril e não fornece suficiente exposição a alérgenos potenciais, nosso sistema imunológico efetivamente fica entediado e começa a agir contra o que poderiam ser inofensivos alimentos ou plantas.

Há também provável uma ligação entre a prevalência de alergias e o aumento da temperatura global em nosso planeta. As temperaturas mais elevadas e o aumento relacionado de dióxido de carbono no ar tanto podem permitir maior proliferação de pólen e organismos geneticamente modificados.

Nenhuma pesquisa, no entanto, tem sido capaz de vincular os OGM (organismos geneticamente modificados) a taxas mais elevadas de alergia.  

A matriz e a extensão das alergias a que estamos expostos e o estado do nosso sistema imunológico após a exposição, portanto, combinam com nossa genética predisposta  em direção a uma resposta alérgica para, finalmente, determinar se uma alergia será desencadeada em nossos corpos. Isolar os componentes separados para esta combinação complexa é extremamente difícil, se não impossível. Portanto, não é surpreendente que os pesquisadores ainda estão olhando para identificar as ligações claras entre as alergias e suas causas específicas, sejam elas ambientais ou genéticas.



Everyday Einstein Sabrina Stierwalt

Sabrina Stierwalt, PhD, is an astrophysicist at the University of Virginia and the host of the Everyday Einstein podcast on Quick and Dirty Tips.


Traduzido e revisado por Daniel Genovez

Especialista em Pediatria