O Peixe na Alimentação Materno-Infantil

FDA e EPA atualizam orientações sobre o consumo de peixe

 
 
+1 A Food and Drug Administration e a U.S. Environmental Protection Agency concluíram que mulheres grávidas, lactantes1, aquelas que desejam engravidar e as crianças devem comer mais peixe, com baixo teor de mercúrio, a fim de obter importantes benefícios para o desenvolvimento e para a saúde2.
 
FDA e EPA atualizam orientações sobre o consumo de peixe

A Food and Drug Administration (FDA) e a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (U.S. Environmental Protection Agency ou EPA) emitiram atualização das orientações sobre o consumo de peixe. As duas agências concluíram que mulheres grávidas, lactantes1, aquelas que desejam engravidar e as crianças devem comer mais peixe, com baixo teor de mercúrio, a fim de obter importantes benefícios para o desenvolvimento e para a saúde2. O projeto de aconselhamento atualizado é compatível com as recomendações 2010 Dietary Guidelines for Americans.

Anteriormente, a FDA e a EPA recomendavam os montantes máximos de peixe que estes grupos populacionais devem consumir, mas não orientavam uma quantidade mínima. Ao longo da última década, no entanto, a ciência ressaltou a importância do consumo de quantidades apropriadas de peixe na dieta de mulheres grávidas, lactantes1 e crianças pequenas.

"Durante anos, muitas mulheres têm limitado ou evitado comer peixe durante a gravidez3 ou de colocá-los na alimentação dos seus filhos", disse Stephen Ostroff, cientista-chefe da FDA. "Mas a ciência emergente agora nos diz que limitar ou evitar o consumo de peixes durante a gravidez3 e na primeira infância pode significar perder nutrientes importantes que podem ter um impacto positivo no crescimento e no desenvolvimento, bem como sobre a saúde2 em geral."

Este projeto de aconselhamento recomenda que grávidas comam pelo menos 225 gramas a até 350 gramas (2-3 porções) por semana, de uma variedade de peixes que possuam menor teor de mercúrio, para ajudar no crescimento e no desenvolvimento fetal.

 

O projeto de aconselhamento atualizado adverte mulheres grávidas ou amamentando, para evitar quatro tipos de peixes que estão associados a altos níveis de mercúrio: namorado do Golfo do México, tubarão, peixe-espada e cavala. Além disso, recomenda limitar o consumo de atum branco a seis gramas por semana.

Escolher peixes com baixos níveis de mercúrio inclui alguns dos peixes mais comumente consumidos, tais como camarão, badejo, salmão, atum em lata, tilápia, bagre e bacalhau.

Ao comer peixes capturados a partir de córregos locais, rios e lagos, as pessoas devem seguir os avisos das autoridades locais. Se este aconselhamento não estiver disponível, limitar a ingestão total desse peixe a 170 gramas por semana e 28 a 85 gramas para as crianças.

Antes de emitir o parecer final, as agências considerarão os comentários do público e também a intenção de solicitar o parecer do Comitê de Assessoria de Comunicação de Riscos da FDA e de outros grupos.

 

Fonte: FDA News Release, de 10 de junho de 2014 

NEWS.MED.BR, 2014. FDA e EPA atualizam orientações sobre o consumo de peixe. Disponível em: <http://www.news.med.br/p/saude/546887/fda-e-epa-atualizam-orientacoes-sobre-o-consumo-de-peixe.htm>. Acesso em: 18 jun. 2014.
 
 
 
 

Os peixes com mais e menos mercúrio

Os peixes com mais e menos mercúrio

 

O peixe é um dos alimentos mais consumidos do planeta e está incluído na maior parte das dietas “saudáveis” que existem por aí.

É também consumido em grandes quantidades pelos fisioculturistas e adeptos do estilo de vida fitness e existem bons motivos para isso.

Os benefícios do peixe

O peixe é uma fonte de proteína de alta qualidade e que costuma ser de fácil acesso e não demasiado cara.

Também irá gostar de saber também que algumas investigações indicam que o peixe sacia mais o apetite em comparação com o frango ou a carne vermelha. (1)

Para além disso, os tipos de peixe magro (como o atum e a pescada) são praticamente isentos de gordura, o que os torna uma excelente escolha para quem deseja perder peso, e mesmo os peixes mais gordos contêm grandes quantidades de gorduras saudáveis em forma de ácidos graxos ômega 3.

O óleo de peixe, que é rico em ômega 3, proporciona vários benefícios para a saúde, incluindo aumento da queima de gordura, diminuição do armazenamento de gordura, diminui a inflamação, alivia a depressão, estabiliza o estado de humor, diminui o risco de problemas cardiovasculares e de AVC´s (2).

O teor elevado de taurina do peixe também pode melhorar os níveis de sensibilidade à insulina e/ou à leptina, o que é ótimo para as pessoas que sofrem de diabetes tipo 2.

O problema do mercúrio

O óleo de peixe pode ajudar a melhorar a composição corporal.

Estas são excelentes razões para consumir peixe, mas nem tudo é positivo no que diz respeito ao consumo de peixe.

O principal motivo de preocupação é o conteúdo de mercúrio do peixe.

O mercúrio, tal como já deve saber, é um metal tóxico que quando se acumula em quantidades excessivas pode provocar uma série de problemas no corpo.

Uma questão que surge com frequência é qual é a quantidade de peixe que pode ser consumida no dia-a-dia de forma a se poder obter os seus benefícios nutricionais e ao mesmo tempo evitar os potenciais problemas relacionados com o mercúrio.

Devido aos potenciais efeitos negativos que o mercúrio pode provocar na saúde, a Organização Mundial de Saúde estabeleceu limites seguros diários e semanais de ingestão de mercúrio.

As mulheres grávidas ou mulheres que pretendem engravidar, deveriam minimizar a ingestão de mercúrio a partir do peixe de forma a evitarem a possibilidade de ocorrência de defeitos de nascimento.

Pode ver uma lista dos peixes com maior e menor concentração de mercúrio (PPM – Partes por Milhão) nas tabelas abaixo.

Peixe com concentrações mais elevadas de mercúrio

Peixe Conteúdo de mercúrio
Cavala  0.730
Tubarão  0.979
Espadarte  0.995
Peixe-batata (Tilefish)  1.450

Peixe e frutos do mar com concentrações mais reduzidas de mercúrio

Peixe Conteúdo mercúrio Peixe Conteúdo mercúrio Peixe Conteúdo mercúrio
 Anchovas  0.017  Arenque  0.084  Vieira  0.003
 Peixe-manteiga  0.058  Jacksmelt  0.081  Shad American  0.045
 Peixe-gato  0.025  Lagosta  0.093  Camarão  0.009
 Mexilhão  0.009  Sarda  0.050  Lula  0.023
 Bacalhau  0.111  Sarrajão  0.088  Tilapia  0.013
 Caranguejo  0.065  Tainha  0.050  Truta  0.071
 Lagostim  0.033  Ostra  0.012  Juliana  0.031
 Corvina (atlântico)  0.065  Peixe-vermelho  0.121  Whitefish  0.089
 Solha  0.056  Salmão enlatado 0.008  Whiting  0.051
 eglefim  0.055  Salmão fresco  0.022
 Pescada  0.079  Sardinha  0.013

Níveis de mercúrios de outros peixes e frutos do mar

Peixe Conteúdo mercúrio Peixe Conteúdo mercúrio Peixe Conteúdo mercúrio
 Perca listrada 0.152 Carapau espanhol (Oceano Atlântico) 0.182 Atum Albacore (enlatado) 0.350
Perca chilena 0.354 Espadim 0.485 Atum Albacore (fresco) 0.358
 Anchova 0.368 Peixe-monge 0.181 Atum patudo 0.689
Buffalo fish 0.137 Peixe-relógio 0.571 Atum bonito 0.144
 Carpa 0.110 Perca do Nilo  0.150 Atum-amarelo 0.354
 Corvina branca (Pacífico) 0.287 Peixe-carvão-do-pacífico 0.361 Atum fresco (Espécies desconhecidas) 0.415
Garoupa 0.448 Peixe-escorpião 0.233 Weakfish 0.235
 Linguado 0.241 Peixe-búfalo 0.093  Carapau espanhol (Golfo do México) 0.454
Lagosta (América do Norte) 0.107 Raia 0.137  Malacanthidae (Atlântico) 0.144
Lagosta (Espécies desconhecidas) 0.166

Lutjanidae

0.166

Para mais informações acerca deste tema, consulte este site da FDA

Os peixes com os número mais reduzidos são os melhores, indicando uma menor quantidade de mercúrio por cada  serviço de peixe.

Numa base diária, os homens deveriam consumir 0.19 ou menos e os peixes com uma quantidade de mercúrio superior a esta só deve ser ingerido no máximo até duas vezes por semanas.

As mulheres deveriam manter-se ao nível diário de 0.14 ou menos, e podem ingerir até 0,38 duas vezes por semana.

Como pode ver, o atum, que forma parte da dieta diária de muitos adeptos do estilo fitness e praticantes de musculação, ultrapassa em muito os níveis aceitáveis de mercúrio, pelo que se deve evitar o seu consumo regular.